O Psicopata

Este é o transtorno de personalidade, possivelmente, mais conhecido e temido pela população em geral, ainda que ocorram muitas variações no termo e conflitos na definição. Essa popularidade é reflexo de filmes e novelas que possuem vilões com estas caraterísticas. Podemos ir de: Anton Chigurh, o personagem de Javier Bardem em Onde os Fracos não têm Vez e Dr. Hannibal Lecter, Anthony Hopkins em O Silêncio dos Inocentes, ou Laranja Mecânica com Alex; Malcolm McDowell, até as mais odiadas vilãs das novelas brasileiras como Nazaré Tedesco- Renata Sorrah (Senhora do Destino), Carminha- Adriana Esteves (Avenida Brasil) e a famosa Odete Roitmann- Beatriz Segal (Vale Tudo). A lista pode ser realmente extensa.


O termo “psicopatia”, com origem no grego, significa “psiquicamente doente” e por isso foi usado, no passado, para designar genericamente toda a doença mental. Mais tarde a palavra “psicopatia” começou a ser atribuída a uma perturbação específica. Mas mesmo assim sempre houve contendas sobre qual termo seria mais adequado. Já se usou” psicopatia”, “sociopatia”, “ transtorno do caráter” e “personalidade antissocial”.

Um trabalho clássico de Hervey Clecley propôs uma diferenciação que a grosso modo diz que o psicopata é um caso grave, de comportamento mais caótico e transgressor, enquanto o sociopata parecia ser capaz de adaptação menos conflituosa. Depois de 1968 o termo ”antissocial” ganhou mais espaço. Modernamente a ideia é de um espectro diagnóstico, ou seja, existe um continuum narcisista de patologia antissocial que varia do psicopata mais primitivo, passando pelo narcisismo com padrões antissociais, chegando ao narcisista com comportamento mais ajustado. O DSM-5 o define como Transtorno da Personalidade Antissocial, um padrão difuso de desconsideração e violação dos direitos das outras pessoas que ocorre desde os 15 anos de idade.

O comportamento destas pessoas é marcado pela falta de empatia, eles não conseguem se sensibilizar com o sofrimento alheio, e em casos mais graves, sentem prazer com o sofrimento dos outros. Pode ocorrer violação dos direitos dos outros, o qual surge na infância ou no início da adolescência e continua na vida adulta. Eles são particularmente competentes na arte de manipular as pessoas, são mestres da falsidade. O diagnóstico só pode ser fechado após 18 anos de idade mas existem evidências dele na infância. Podem trapacear na escola, podem ser agressivos com os colegas, mentem para os professores e os pais com muita frequência e podem gostar de torturar animais de estimação. O padrão de comportamento antissocial continua até a vida adulta.

Estas pessoas não conseguem ajustar-se às normas sociais referentes a comportamento legal por exemplo. Podem repetidas vezes realizar atos que são motivos de detenção, como destruir propriedade alheia, assediar outras pessoas e roubar; eles sentem atração por coisas ilegais. Eles desrespeitam os desejos, direitos ou sentimentos dos outros. Com frequência, enganam e manipulam para obter ganho ou prazer pessoal (pode ser para obter dinheiro como estelionato, ou até sexo). Eles sempre atuam em benefício próprio manipulando todos ao seu redor. Podem ser irritáveis e agressivos e podem envolver-se em lutas corporais ou agressão física (inclusive espancamento de cônjuge ou filho) e podem matar sim.

Podem se envolver em comportamento sexual ou uso de substância com alto risco de consequências nocivas. Eles gostam da transgressão. São pessoas irresponsáveis visto que se preocupam apenas com seus próprios desejos, então normalmente não se fixam em emprego algum, não cuidam de pessoas que sejam dependentes dele, até mesmo porque demonstram pouco remorso pelas consequências de seus atos. Esses indivíduos podem culpar suas vítimas por serem tolas e merecedoras de seu destino, ou podem minimizar as consequências danosas de seus atos ou ainda simplesmente demonstrar total indiferença.

Vou destacar um fato muito importante: estas características são do indivíduo que preenche todos os critérios, mas existem muitas pessoas que possuem apenas traços desta personalidade, são mais moderados e estão amplamente difundidos na sociedade. Podem ser apenas desonestos, mentirosos e fingidos. Ele pode ser um colega de trabalho desleal que vai puxar o seu tapete quando tiver oportunidade. Estas pessoas são apenas más e antiéticas, mas não chegam necessariamente a cometer atos ilegais. Lamento dizer mais muitos políticos se enquadram nesta categoria!

A origem do problema é bio-psico-social, ou seja, tem uma parte genética, mas também tem componentes sociais e psicológicos.Um exemplo: homens que genótipo para baixa produção de MAO-A (uma enzima) e que viveram maus-tratos na infância desenvolveram comportamento antissocial em 85% das vezes. Estes maus-tratos podem ser a rejeição materna, perdas de cuidadores primários, abusos físicos ao até sexuais. Considera-se também o ambiente onde a criança se desenvolveu, ambientes violentos, pobres e de pouca educação formal podem contribuir para o surgimento desta personalidade.

Esta equação de conflitos sociais, relações atribuladas com os pais e uma carga genética podem gerar um prejuízo de internalização do psicopata, o que leva a uma falha maciça do desenvolvimento do superego – marca clássica destas pessoas. O superego é a parte moral da psique e representa os valores da humanidade. Pode haver total inexistência de sentido moral nestes indivíduos, e seu único sistema de valor é o exercício de poder agressivo, e os precursores do superego sádico podem ser seus únicos vestígios de superego primitivo. Por isso podem ser sádicos e cruéis.

Esta é uma condição de difícil tratamento pois o antissocial é incapaz de internalizar culpa, incapaz de sentir o sofrimento dos outros e é incapaz de se ver como uma pessoa doente. Contudo, pessoas que possuem apenas traços desta personalidade podem se beneficiar muito de uma psicoterapia bem-feita.

Se este assunto te incomodou, procure conversar com quem entende do assunto pois textos da internet podem ser baste confusos.


(Embasado em Glen O. Gabbard e DSM-5 - Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais)

43 visualizações

CONSULTÓRIO

SHCSW lotes 3/4/5 - sala 255 - Centro Clínico Sudoeste , Brasília

(61) 3551-7078
(61) 99644-1818

Seg - Sex 
08:00 - 12:00
14:00 - 18:00
​​
Sábado
8:00 - 12:00 ​

© 2020 Espaço Serenitas. Criado por

44068_Zurc_150419 - branco.webp
whats.png